Entenda agora a diferença entre embutidos e defumados

4 minutos para ler

Como é bom, após um dia exaustivo, permitir-se, calmamente, degustar um delicioso embutido ou defumado, acompanhados de um bom vinho! Os salames, lombos e presuntos tornam os momentos de contemplação e celebração mais agradáveis, com certeza. Eles são ótimas e práticas opções para o café da manhã, da tarde e, até, para as refeições. 

São processos em que as carnes, de origem bovina, suína, caprina e afins, são parcialmente desidratadas, intensificando seus sabores. Em suas origens, tinham por objetivo principal a conservação dessas carnes por mais tempo, quando ainda não existia refrigeração. No entanto, até hoje, conquistam cada vez mais e mais apreciadores.

Os embutidos e defumados são muito parecidos, em especial, em suas texturas e sabores, mas, saiba, existem muitas diferenças entre eles. Os processos de fabricação são bem distintos, na verdade. Hoje, nós vamos falar sobre eles para vocês.

Conheça agora as principais diferenças entre embutidos e defumados.

Embutidos

Os embutidos são alimentos práticos que exigem nenhum ou muito pouco preparo prévio. São carnes homogeneizadas ou trituradas e temperadas. A quantidade mais elevada de sal tem por objetivo deter as ações microbianas que fazem o alimento estragar. Eles diferem entre si pelo preparo e forma de consumo. Os embutidos podem ser:

  • processados: feitos a partir da homogeneização de diversas carnes, como as salsichas;
  • presuntos e apresuntados: vão direto para a mesa, podendo ser consumidos crus ou cozidos;
  • fermentados: os salames são os mais conhecidos. Os embutidos recebem adição de fermentos que, em contato com as moléculas de proteínas e gorduras, produzem ácido láctico. Esse processo confere um sabor ainda mais intenso ao produto final.;
  • embutidos frescos: são embutidos de carnes trituradas e temperadas. Não passam por nenhum processo de cura, fermentação, defumação, nada. Tendem a ter uma validade mais curta e precisam ser levados ao fogo antes do consumo. As linguiças são exemplos. 

Defumados

O processo consiste em adicionar fumaça a uma carne ou, mesmo, a um embutido. Um dos grandes diferenciais do processo está no sabor final dos produtos. A técnica que deixa os sabores dos alimentos muito mais intensos e marcantes pode ser de dois tipos:

  • defumação fria: a temperatura da fumaça fica entre 20 e 37 graus. É um processo que pode levar dias ou semanas para ser concluído. É bastante complexa e necessita de bastante cuidado para ser feita, pois as condições para se defumar a frio são as ideais para o crescimento de microrganismos e bactérias. O objetivo, aqui, não é que o alimento cozinhe e, sim, que ele conserve e ganhe sabores complexos e diferenciados. O ideal é que a defumação a frio seja feita em regiões de clima frio ou no inverno, pois o excesso de calor pode fazer com que a carne estrague antes que consiga ser efetivamente defumada;
  • defumação quente: a temperatura da fumaça deve ser superior a 65 graus, podendo atingir 120 graus. O alimento é cozido e defumado ao mesmo tempo, podendo ser consumido diretamente. O sabor, ao final do processo, é acentuado. É o caso de boa parte dos bacons vendidos por várias marcas em supermercados. Também é possível fazer a defumação quente na sua churrasqueira. Basta utilizar uma tampa ou anteparo para que a fumaça não escape. É claro que o resultado não será o mesmo de uma defumação feita em um ambiente controlado, mas dá para se divertir e experimentar bastante.

Legal, né? Os embutidos e defumados são realmente alimentos muito versáteis e deliciosos. São ótimas opções para degustar juntamente a um bom vinho, sozinhos ou na companhia dos nossos queridos, não importa. Eles deixam os momentos mais agradáveis e combinam com diversas situações.

Gostou deste artigo? Então assine nossa newsletter e receba diversos conteúdos sobre queijos, vinhos e harmonizações. Até mais! 

Posts relacionados

Deixe um comentário