Você conhece a história da geleia?

3 minutos para ler

As geleias são um dos alimentos mais consumidos pelos brasileiros, pelo seu sabor inigualável e praticidade em sua produção. É uma forma de complementar, por exemplo, uma noite de queijos e vinhos, oferecendo uma opção interessante de doce para complementar o cardápio do evento.

Mas você conhece a história da geleia? Essa é uma informação curiosa e que mostra muito sobre como é feita a produção desse prato. Vamos saber mais? Continue a leitura e tire suas dúvidas sobre o tema.

Como surgiu a geleia?

A palavra “geleia” surgiu da palavra francesa “gelée”, que tem por significado “solidificar” ou “gelificar”. A partir das tentativas de conservação de frutas em um período no qual não havia, por exemplo, conservantes artificiais e geladeira para tal fim, essa criação veio como uma forma de não perder os alimentos devido à perenidade dos itens. Assim, tornou-se possível que elas durassem mais tempo do que consumidas in natura.

Atualmente, é possível que geleias produzidas possam ser armazenadas na geladeira por até duas semanas, quando colocadas em vidros hermeticamente fechados. Muitas frutas passaram a fazer parte, dessa forma, da produção de geleias, como:

  • maçã;
  • laranja;
  • jabuticaba;
  • morango;
  • abacaxi;
  • uva;
  • manga;
  • pêssego, entre outros.

Como era sua produção?

A produção das geleias é feita, tradicionalmente, por meio do cozimento dos frutos ou, então, com parte deles, em conjunto com algum tipo de líquido (água, suco de frutas, ou, até mesmo, vinho) e açúcar. No final do processo, coa-se para retirar qualquer tipo de parte sólida e deixa-se esfriar, e chegamos à pasta que já conhecemos.

As geleias tradicionais, anteriormente, eram feitas, muitas vezes, com outros elementos, como cascas e caroços de frutas. Também era utilizado o melaço de cana para adoçamento da receita.

Como a geleia é feita atualmente?

Com a possibilidade de produção industrial, as geleias passaram a ter outra forma de elaboração, com métodos para poder criar produtos para venda posterior, em alta escala. A Embrapa, para isso, traz uma apostila com uma série de recomendações importantes para esse tipo de fabricação de maneira eficiente.

Há quem faça um contraponto para esse tipo de produção, retomando a criação de geleia artesanal, com o adicional de poder realizar os processos tal como eram antes da escala industrial. Tudo isso deve ser feito com produtos de qualidade, higienização adequada e com todos os métodos e cuidados de forma eficiente.

Atualmente, também, pode-se utilizar pectina, adoçantes artificiais e, no caso das geleias industriais, corantes e aromatizantes com sabor de frutas. Tais informações podem proporcionar para várias pessoas a oportunidade de potencializar a renda mensal.

As geleias precisam de um ambiente com higiene adequada para ser possível manter a qualidade na sua produção. Por isso, se você tem intenção de produzir geleias de forma artesanal, é importante ter essa atenção para evitar problemas e ter um produto com um sabor inigualável.

Quer mais dicas interessantes como essas sobre a história da geleia? Assine nossa newsletter e receba outras informações que auxiliarão a sua rotina a ser mais saborosa e feliz.

Posts relacionados

Deixe um comentário